sábado, 23 de fevereiro de 2008

A genealogia de Chico Buarque





A trilha sonora deste sábado é esta obra-prima do Chico Buarque Lindo e Maravilhoso de Holanda! Ele canta a sua genealogia que vai além do pai, avô, bisavô e tataravô. Tem também Antonio Brasileiro, o Jobim, tem Caymmi, Vinícius, Jackson e tantos outros talentos de nossa música.
Acho que no fundo, no fundo, nossos amigos queridos também fazem parte desta grande família pois somos nós quem os escolhemos.


Paratodos

Chico Buarque

O meu pai era paulista
Meu avô, pernambucano
O meu bisavô, mineiro
Meu tataravô, baiano
Meu maestro soberano
Foi Antonio Brasileiro
Foi Antonio Brasileiro
Quem soprou esta toada
Que cobri de redondilhas
Pra seguir minha jornada
E com a vista enevoada
Ver o inferno e maravilhas
Nessas tortuosas trilhas
A viola me redime
Creia, ilustre cavalheiro
Contra fel, moléstia, crime
Use Dorival Caymmi
Vá de Jackson do Pandeiro
Vi cidades, vi dinheiro
Bandoleiros, vi hospícios
Moças feito passarinho
Avoando de edifícios
Fume Ari, cheire Vinícius
Beba Nelson Cavaquinho
Para um coração mesquinho
Contra a solidão agreste
Luiz Gonzaga é tiro certo
Pixinguinha é inconteste
Tome Noel, Cartola, Orestes
Caetano e João Gilberto
Viva Erasmo, Ben, Roberto
Gil e Hermeto, palmas para
Todos os instrumentistas
Salve Edu, Bituca, Nara
Gal, Bethania, Rita, Clara
Evoé, jovens a vista
O meu pai era paulista
Meu avô pernambucano
O meu bisavô, mineiro
Meu tataravô baiano
Vou na estrada há muitos anos
Sou um artista brasileiro




Tenham todos um ótimo fim-de-semana!

Marcadores: , , , ,

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Genealogia


"Se o mundo do futuro se abre para a imaginação, mas não nos pertence mais, o mundo do passado é aquele no qual, recorrendo a nossas lembranças, podemos buscar refúgio dentro de nós mesmos, debruçar-nos sobre nós mesmos e nele reconstruir nossa identidade; um mundo que se formou e se revelou na série ininterrupta de nossos atos durante a vida, encadeados uns nos outros, um mundo que nos julgou, nos absolveu e nos condenou para depois, uma vez cumprido o percurso de nossa vida, tentarmos fazer um balanço final.

É preciso apressar o passo. O velho vive de lembranças e em função das lembranças, mas sua memória torna-se cada vez mais fraca. O tempo da memória segue um caminho inverso ao do tempo real: quanto mais vivas as lembranças que vêm à tona de nossas recordações, mais remoto é o tempo em que os fatos ocorreram. Cumpre-nos saber, porém, que o resíduo, ou o que logramos desencavar desse poço sem fundo, é apenas uma ínfima parcela da história de nossa vida. Nada de parar. Devemos continuar a escavar! Cada vulto, gesto, palavra ou canção que parecia perdido para sempre, uma vez reencontrado, nos ajuda a sobreviver."

Norberto Bobbio - filósofo e jurista italiano
(*18/Out/1909-Torino;†09/Jan/2004-Torino)



Fonte da gravura:
http://www.bertotti.it/genealogia/





Genealogia: 1. Estudo que tem por objeto estabelecer a origem de um indivíduo ou de uma família 2. exposição cronológica, geralmente em forma de diagrama, da filiação de um indivíduo ou da origem e ramificações de uma família 3. Conjunto de antepassados segundo uma linha de filiação.
Dicionário Houaiss da língua portuguesa




Nesta postagem aqui, mencionava que meu bisavô, chegou à cidadezinha de Barra de São João, região da baixada litorânea ao norte do estado do Rio de Janeiro, proveniente de Damasco, Síria. Infelizmente não tive a oportunidade de conhecê-lo, pois quando faleceu, minha mãe ainda era uma menina.
Conhecer a história de vida dos meus antepassados e montar a árvore genealógica é para mim uma aventura e hobby prazerosos, e algo que já dura alguns anos.
A árvore ainda está muito incompleta, mas cada informação que eu consigo com parentes mais antigos ou através de documentos que eles me emprestam é uma alegria tamanha.
Existem muitas informações sobre genealogia na internet e alguns pesquisadores conseguem fazer um estudo bastante abrangente sobre suas famílias. A de minha família é ainda uma colchinha de retalhos, mas aos poucos, eu vou chegando lá. Afinal, quando você tem sobrenomes como 'Nascimento' e 'da Silva', por exemplo, este estudo pode se tornar infinito :-) não é, mas cada novo pedacinho de história que eu consigo montar nessa 'colcha' familiar, torna-se sempre motivo de alegria para mim.
Com relação ao meu bisavô de Damasco, seu nome era Phelippe Gibara. E a história dele, assim como toda história de família, é fascinante, pois se trata da seiva de parte do que sou agora. Infelizmente o que sei é pouco. Um dia, quem sabe, chegarei aos meus parentes de Damasco, porém, por não ter encontrado ainda registros no Arquivo Nacional a respeito de sua chegada ao Brasil ( faltam-me datas importantes!), a pesquisa se torna ainda mais desafiadora, para não dizer difícil...
Uma tia querida, já falecida, me disse certa vez que seu pai veio para o Brasil com muitos 'patrícios'. Uma versão da história é que ele fugia de uma guerra e neste caso, estamos falando do século 19. A outra hipótese é que seu pai havia se casado pela segunda vez e por não aceitar este segundo casamento, decidiu imigrar....... (bem, ainda não sei qual versão é mais confiável). Talvez este pedaço da história seja eternamente parte do folclore da minha história familiar. Minha tia também contava que ele não gostava que os filhos participassem dos encontros dele com seus patrícios. Uma curiosidade é que ele não ensinou árabe aos filhos, mas nesses encontros, meu bisavô e seus amigos sempre se comunicavam em árabe. Às 18 horas, sempre rezavam a Ave-Maria! (Eram cristãos!) Os filhos participavam mais da vida do pai e as filhas ficavam mais com a mãe. Phelippe se estabeleceu na região de Campos e depois em Barra de São João. E lá, bisavô Felipe casou com a minha bisavó Josefina e juntos tiveram mais de 10 filhos, dentre os quais, minha avó Lucília Gibara, também nascida em Barra de São João, que por sua vez, teve a minha linda mãe Gilda em São Gonçalo, RJ, que me teve há algumas décadas na cidade do Rio de Janeiro, antiga Guanabara. Não é maravilhoso pensar que estamos todos interligados?
Do lado de meu pai, a minha história está entrelaçada com índios, paraibanos, portugueses e quem sabe holandeses? Esta parte ainda é mais complexa, já que tenho menos informações e os sobrenomes são mais comuns.
Nossos parentes mais idosos são verdadeiros tesouros vivos, pois podem nos contar o pouco ou muito que sabem a respeito de seus pais, avós, bisavós, etc e da época em que viveram, a infância, a juventude, a idade adulta e a velhice. Além de datas, cidades e países de origem, o mais maravilhoso da genealogia é o tear de uma história que vai sendo construída através de 'causos', narrativas únicas que se não fossem registradas, certamente iriam se perder no tempo. Portanto, amigos, se vocês gostam deste assunto, encontrem-se com os seus parentes mais velhos e como ao redor de uma fogueira, deixem-os contarem suas histórias de um tempo e de suas vidas, sem pressa, pois além de serem momentos de aconchego familiar com os mais velhos, nós guardaremos para sempre a nossa história, nos conheceremos melhor e esta história poderá ser recontada por nossos filhos, netos e bisnetos.....



Encontrei um poema muito bonito na net que retrata esta sensação de acolhimento e o encanto que é fazer pesquisa genealógica.



ANCESTRAIS

Sentem comigo aqui, por um instante,
Para contar-me as coisas que não sei.
Digam para mim dos sonhos de futuro,
Das ramas de verdor por sobre o muro,
Das terras que eu pensava tão distantes
E que, ao conhecer, eu tanto amei.
Falem aos meus ouvidos com esse canto
De quem tem outro jeito de cantar.
Mostrem-me as veias, o semblante, o pranto
E me recolham desse desatino
De querer explicar o meu destino,
De querer descobrir o meu lugar.
Sentem comigo aqui, por um momento,
E permitam que eu tome as suas vidas
Com toda a alma e força do meu ser.
Talvez, quem sabe, eu seja esclarecida;
Talvez, assim, à luz do sentimento
Eu possa, afinal, compreender
Sentem comigo aqui, só um pouquinho;
A mim revelem todos os segredos
Desse sangue comum que nos é dado.
E eu certamente irei dormir sem medo,
Amparada no amor e no carinho
Que me vêm tão claramente do passado.
Sentem comigo aqui, que eu agradeço
A honra, a gente, a descoberta, a História
Que de vocês me pousam na memória
E me conduzem para onde estou.
Eu posso ser melhor porque hoje cresço
E mais que muita gente... sei quem sou !

(Escrito por Regina Cascão)

Beijos para vocês!

Marcadores: , , , ,

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Para os meus amigos

That's what friends are for






Bom fim-de-semana para todos!

Beijos,

Marcadores: ,

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

DIGA NÃO À PEDOFILIA: PREVINA SEUS FILHOS E AS OUTRAS CRIANÇAS


"Ser Criança"

Gostamos de brincar
Com tudo o que temos à frente,
Fazemos amigos sem parar
E somos todos inocentes.
Com muito amor e alegria
Ensinam-nos coisas sem parar,
Rodeados estamos de magia
E crescemos sempre a sonhar.
Como somos pequeninos
E estamos sempre a correr,
Ficamos muito cansadinhos
E sestas temos de fazer.
Protegidos pelo colinho
Que os adultos nos dão,
Adormecemos como uns anjinhos
Dando asas à nossa imaginação!

Créditos do poema: http: saberes-efnb.blogspot.com/2007/10/poema-ser-crianca.html
Foto: retirada do Google imagens



Começo minha participação nesta blogagem coletiva sugerida pela Luma com este singelo poema sobre 'ser criança'.
Cada um de nós já foi criança um dia e sabe como é maravilhoso ter vivido essa fase tão mágica, pura e autêntica de fazer e acontecer, do faz-de-conta, de dizer o que pensa, de imaginar as coisas mais incríveis, da espontaneidade e da capacidade de sonhar e acreditar no sonho. Quem viveu este direito algum dia, teve infância de verdade, por que foi presenteado com o dom da inocência e com a fértil capacidade de imaginar.
A criança que cresce num ambiente saudável com pais, familiares, atenção, amigos, afeto, amor, respeito e muito espaço para o lúdico, cresce em segurança e ao longo de sua vida torna-se um ser humano do bem: mente e corpo sãos.
Entretanto, nunca se ouviu falar tanto de pedofilia como hoje em dia. Infelizmente, nem todas as crianças estão protegidas como gostaríamos, já que muitas delas encontram monstros de verdade pelo caminho, que acabam por destruir seus sonhos de infância completamente. Infelizmente os pedófilos existem por aí em cada esquina... A cada dia, os jornais noticiam histórias de pedófilos molestando crianças (o caso mais recente, da nadadora Joana Maranhão, que revelou aos jornais ter sido molestada por seu treinador quando tinha 9 anos!)

Quem são esses monstros?

E como nós pais, educadores, seres humanos que amamos e respeitamos as crianças podemos perceber quando algo não está indo bem?

Acredito que nós pais temos a obrigação de ficarmos atentos quando se trata de proteger a integridade de nossos filhos. A
internet, por exemplo, é uma estrada com caminhos muitas vezes sinuosos e, com freqüência, escutamos as histórias mais mirabolantes sobre crianças que começam a se comunicar com outras 'supostas crianças' mas infelizmente são perfis falsos que escondem a verdadeira identidade de maníacos obcecados por crianças, que as atraem como presas fáceis e esperam dar o bote a qualquer momento.

Precisamos acompanhar melhor a vida de nossos filhos! Quais são páginas que nossos filhos costumam visitar na internet? Precisamos dialogar sempre com nossos filhos, saber como foi o dia deles na escola, no cursinho de inglês, na aula de judô ou natação. Conversar sempre! Precisamos alertá-los dos perigos que existem n
a internet e que principalmente não devem falar com estranhos e muito menos fornecer informações pessoais a desconhecidos.

Também faz-se necessário alertá-los que não é somente com relação a internet 'sem cara' que devemos ficar em estado de alerta. O pedófilo pode também ser uma pessoa conhecida!

É claro que nós pais também devemos saber conversar com nossos filhos de acordo com a faixa etária deles. Conversar com nosso filha/o de 3 anos, 7 ou 15 irá demandar obviamente discursos completamente diferentes. Para isso, podemos sempre recorrer às organizações que trabalham em prol de uma infância saudável e longe dos pedófilos. Muitas dessas organizações possuem cartilhas que nos ensinam a lidar com o problema e como conversarmos sobre este tema tão conflitante.

Fazendo minhas pesquisas pela internet, encontrei várias dessas organizações e reproduzo aqui dois textos interessantes que encontrei: porém, em primeiro lugar, é importante citar que existe o
ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE ( lei federal no. 8069/90 de 13/03/1990) que foi criado com o objetivo de dar PROTEÇÃO INTEGRAL À CRIANÇA.
Se este estatuto tem protegido as crianças do Brasil, muitas vezes penso que não como deveria.
O ECA diz em seu art. 18:

  • É dever de todos zelar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.


Será que todos estamos zelando pela dignidade de nossas crianças e adolescentes?



Reproduzo agora dois textos extraídos do Observatório da Infância, cujo objetivo é esclarecer e ajudar os pais a ajudarem seus filhos.









Pedofilia e abuso sexual: proteja seus filhos.
Rio de janeiro, 28 de janeiro de 2008.

O que os pais podem fazer para prevenir o abuso sexual e proteger seus filhos

O Observatório da Infância recebe uma grande quantidade de e-mails através da seção "Conte seu caso". As situações mais freqüentes e mais dolorosas são de abuso sexual. Nas entrevistas que damos continuamente na mídia sobre pedofilia e abuso sexual a pergunta mais freqüente feita pelos jornalistas é como evitar que uma criança seja sexualmente abusada. Hoje, vamos dar destaque aqui às recomendações do Observatório da Infância para prevenir o abuso sexual.

  • Lembre-se sempre que pedofilia é uma perversão sexual, caracterizada pela opção sexual preferencial por crianças e adolescentes, de forma compulsiva e obsessiva. O pedófilo é um doente que pode cometer crimes contra crianças.
  • O pedófilo é uma pessoa aparentemente normal e muitas vezes inserida na sociedade.
  • A pedofilia é uma patologia muito freqüente em todos os níveis sociais e econômicos. Lembre-se portanto: Não é rara a presença de pedófilos no meio da família, nas escolas, nas praças, nos playgrounds, nos educandários, no ambiante esportivo, nas igrejas, em consultórios médicos e em todos os lugares onde ele, o pedófilo, possa encontrar crianças e adolescentes.
  • Lembre-se que na maioria das vezes o abusador sexual de crianças é alguém da própria família ( pai, padrasto, avô, tio, cunhado, irmão mais velho, ou alguém sem vínculo familiar, mas próximo da criança).
  • O abuso sexual de crianças e adolescentes é um ato covarde, de manipulação do poder e da confiança que crianças têm naquele adulto.
  • Lembre-se que a internet tornou-se hoje um paraíso para pedófilos. Encaminhe suas denúncias sobre pedofilia na internet para http://www.censura.com.br/index.php?option=com_contact&Itemid=3.
  • O abuso sexual de crianças e adolescentes é crime. Cobre da polícia e do Poder Judiciário investigação minuciosa, a aplicação da lei e a proteção de seu filho e de outras crianças.
  • O abuso sexual já ocorreu, mas você pode evitar que ele prossiga. Uma criança vítima de abuso sexual pode levar para o resto de sua vida sentimentos de vergonha e culpa que a prejudicarão seriamente. Para evitar as dolorosas conseqüências do abuso sexual, a criança precisa falar sobre o que ocorreu. Ouça o que sua filha ou filho tem a contar e acredite neles.
Fonte: Observatório da Infância

IMPORTANTE!!!!

O que os pais devem fazer para prevenir o abuso sexual e proteger seus filhos:
  • Estar bem informados sobre a realidade do abuso sexual contra crianças.
  • Ouvir seus filhos e acreditar neles por mais absurdo que pareça o que estão contando.
  • Dispor de tempo para seu filho e dar-lhe atenção.
  • Saber com quem seu filho está ficando nos momentos de lazer. Conhecer seus colegas e os pais deles.
  • Procurar informar-se sobre o que sabem e como lidam com a questão da violência e do abuso sexual os responsáveis pela creche, pela escola e pelos programas de férias. Faça o mesmo com o seu pediatra, o conselheiro religioso, a empregada e a babá.
  • Antes de tudo, falar com seu filho e sua filha e lembrar-se que o abuso sexual pode ocorrer ainda nos primeiros anos da infância.
  • Entre 18 meses e 3 anos, ensine a ele ou ela o nome das partes do corpo.
  • Entre 3 e 5 anos, converse com eles sobre as partes íntimas do corpo (aquelas cobertas pela roupa de banho) e também como dizer não. Fale sobre a diferença entre o bom toque e mau toque.
  • Após os 5 anos, a criança deve ser bem orientada sobre sua segurança pessoal e alertada sobre as principais situações de risco.
  • Após os 8 anos deve ser iniciada a discussão sobre os conceitos e as regras de conduta sexual que são aceitas pela família e fatos básicos da reprodução humana.
Adaptado de textos da American Academy of Pediatrics divulgados no site: www.aap.org/family/cabuse.htm

Fontes de pesquisa:

http://www.observatoriodainfancia.com.br
http://www.censura.com.br
http://www.safernet.org.br

Marcadores: , , ,

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Volta às Aulas!



Ontem começaram as aulas de Samuel e amanhã será a vez da Marcela. O recomeço é sempre um pouco complicado, né. Dormir mais cedo, acordar também mais cedo....
Quando era criança, eu sentia saudades da escola quando estava de férias! Sempre pedia a minha mãe para eu mesma encapar os cadernos, colar as etiquetas. Eu tinha tudo prontinho bem antes do primeiro dia de aula.
Hoje sou eu quem arrumo o material de meus filhos com muito prazer. E acho que eles não puxaram à mania da mãe de sentir saudades da escola durante as férias... :-), mas sinto que estão animados com a volta às aulas.
Agora, acordar às 5 da manhã todos os dias é que são elas.... Precisaremos de algumas semanas para nos adaptarmos.
Beijos,



Marcadores: , ,

domingo, 10 de fevereiro de 2008

Música para alegrar nosso domingo

Dave Brubeck e seu quarteto tocam 'Take Five!'

Marcadores:

sábado, 9 de fevereiro de 2008

Peculiaridades...

A amiga Meiroca me passou a meme das peculiaridades: tenho de escrever sobre 6 peculiaridades a meu respeito. Bem, vamos ver:

Antes de eu sair, sempre preciso beber água :-);

G
eralmente gosto muito de conversar com as pessoas mais idosas pois elas são sábias e me transmitem paz... Elas puxam conversa e eu ... dou corda. Essa espontaneidade é maravilhosa nos mais velhos, assim como nas crianças também, né. Isso acontece muito quando ando de ônibus.

Sou uma manteiga derretida - quando vejo um filme que me emociona, quando leio uma notícia triste no jornal, acabo chorando mesmo...,

Detesto passar roupas como você, Meiroca! Será que alguém gosta? :-)

Apesar de não gostar de dias nublados, prefiro o frio ao calor.

Tenho algumas coleções: enfeites da Arca de Noé ( acho sempre lindas!), postais e também tenho algumas girafas - a coleção só aumenta quando eu encontro alguma diferente que me cativa. Não sou de ficar correndo atrás não, sabe.

Bem, agora eu gostaria de saber algumas das peculiaridades das amigas Elza, Ale, Celia, Anna e Elvira

Tenham todos um ótimo domingo!




Marcadores: , ,

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

João Hélio e tantos outros Joãos e Marias





Antes de João, depois de Hélio
Publicada em 01/02/2008
Por Tico Santa Cruz


Que o Rio de janeiro é uma cidade em guerra e dominada pelo poder paralelo só os políticos e as autoridades é que insistem em não assumir. Que uma infinidade de covardias e violências acontecem todos os dias na rotina desta metrópole afundada na apatia de seus cidadãos e na omissão de sua sociedade não há argumentos que provem o contrário, basta sujar as mãos de sangue com os noticiários. Personagens e tragédias estão tão em evidência quanto o carnaval ou o BBB. Acontece que nesta quinta-feira, dia 7 de fevereiro, faz um ano que uma criança, o menino João Hélio Fernandes Vieites, então com seis anos, foi arrastada pelos subúrbios numa via-crúcis que deixaria mestres do terror cinematográfico americano com as bochechas vermelhas de vergonha e os olhos cheios de lágrimas.
Pois infelizmente João Hélio não foi a única vítima das atrocidades a qual estamos submetidos. Outros anônimos sofreram, sofrem e sofrerão as conseqüências do descaso de décadas com a educação, a dignidade e a segurança pública da população. Sem dúvida nenhuma a história do Rio de Janeiro se divide em antes e depois do filho de Élson e Rosa.
A indignação e a revolta com o episódio levaram mais de 1.500 pessoas à missa de sétimo dia na Igreja da Candelária. Faces transtornadas, bocas rufando ira e clamando por justiça, idosos e jovens misturados compartilhando uma dor que jamais poderão imaginar.
Estive o tempo todo do lado de fora observando a movimentação da imprensa e dos curiosos. Ouvia de longe os discursos fervorosos e as palavras de conforto que o padre insistia em pregar perante milhares de pares de ouvidos. Na saída, com um megafone, gritamos para que os presentes tomassem as ruas para protestar contra o absurdo que deixamos acontecer. Por mais ou menos uma hora ganhamos a Avenida Rio Branco aos gritos de "justiça". O hino nacional foi cantado e parecia que finalmente o povo estava despertando para o único caminho que leva as conquistas legítimas em qualquer democracia séria, o caminho da união e da pressão popular por seus direitos nas ruas. Foi emocionante enquanto durou.
Ao longo desse um ano, grupos como o "Voluntários da Pátria", "Gabriela eu sou da Paz", "Rio de Paz", dentre outros, organizaram passeatas, atos e esboçaram reação com algumas reuniões do que seria o "Rio unido contra a violência". À medida que o tempo foi passando, fomos todos perdendo as adesões efusivas da sociedade e meses depois éramos somente uns apoiando os movimentos dos outros. Não deixamos a chama se apagar. Diversos manifestos foram praticados e continuam sendo organizados. Pode-se dizer que a morte de João Hélio fez com que o coma coletivo arfasse sinais de vida.
O Brasil inteiro voltou a discutir a redução da maioridade penal. Debates foram promovidos, comissões foram criadas e opiniões divididas, tendo como ponto positivo o fato de que, para acalmar a opinião pública, nossos parlamentares colocaram de volta em pauta a votação de alguns itens relativos à segurança que foram deixados de lado.
Em meio ao mar de incompetência administrativa, o carioca percebeu que o perigo não estava mais só nas comunidades carentes, distante dos condomínios seguros e das ruas bem iluminadas da Zona Sul. E quando a classe média passou a ser alvo constante da violência que outrora fincava seus pés apenas para lá do túnel Rebouças, o assunto ganhou a atenção merecida.
Os movimentos conseguiram chamar atenção para o alto índice de homicídios, também para a relação direta e promíscua da classe política com o crime organizado, corrupção entre outros ingredientes que somam forças nesse cenário caótico. Ainda estamos tentando mostrar que uma sociedade que não tem suas crianças numa escola aprendendo os valores que são cobrados por nós, dificilmente terá adultos com discernimento para desenvolver outra postura que não a de revolta com a falta de condições básicas de existência e de oportunidade. Ouvi da boca de um presidiário: "Se eles não dão valor a nossa vida, por que deveríamos dar valor à vida deles?".
O paradigma permanece e o maniqueísmo prevalece hostil quando grupos com idéias divergentes optam por virar as costas para um diálogo que pode até não solucionar de uma vez por todas o problema, mas com certeza buscar a redução do número de vítimas. Na minha matemática, se em 360 dias conseguirmos diminuir em 100 a quantidade de óbitos, já estamos dando um passo à frente, ou não?
Um ano depois de João Hélio, as ruas por onde o menino foi arrastado continuam sem policiamento, a sensação de insegurança aumenta, milhares são as vítimas de balas perdidas, assaltos e outras modalidades de violência que se multiplicam. No entanto, o pano de fundo ainda é o mesmo de sempre: escolas caindo aos pedaços, professores mal remunerados, policiais suscetíveis a suborno ou a "bicos" para complementar o péssimo salário que recebem para expor suas vidas, problemas com hospitais e médicos, confronto entre facções, milícias e autoridades. E a classe artística, com raras exceções, quieta, calada, omissa.
O que merece um povo que consegue reunir 1 milhão de pessoas para ver aviões dando rasante na Baía de Guanabara ou que passa noites na frente do Maracanã para trocar latas de leite por ingressos de jogo de futebol, mas que não é capaz de se unir para lutar por seus direitos constitucionais? Tomara que não seja preciso que cada família nesse estado tenha uma história triste ou uma tragédia em seu destino para que possamos nos mobilizar com a mesma disposição que temos para os blocos de carnaval e afins.
Quando viramos as costas para a situação política do nosso país, nos calamos diante da impunidade, das injustiças e das covardias, não só estamos compactuando e dizendo um grande "sim" para que tudo permaneça igual como também estamos semeando uma próxima geração de cidadãos dispostos a qualquer atitude para que prevaleçam seus interesses individuais. João Hélio esfregou em nossas faces o tamanho de nossa incompetência e indiferença com responsabilidades de cidadania. Que sua morte, assim como a de outros tantos, não seja apenas mais uma triste estatística.

Fonte: http://oglobo.globo.com/opiniao/mat/2008/02/01/antes_de_joao_depois_de_helio-383203843.asp

Marcadores: , , , , ,

BOGLAGEM COLETIVA



A primeira blogagem foi idealizada pela Luma e esperamos que de alguma forma possamos alertar os pais, informar, debater, esclarecer e aprender sobre o que podemos fazer para que este mal horrível e tenebroso cesse de existir. Participe você também. Será no dia 14/2: TODOS CONTRA A PEDOFILIA, EM DEFESA DA INOCÊNCIA!
A segunda blogagem foi idealizada pela Lys e Meiroca e neste dia internacional da mulher falaremos e faremos questionamentos sobre os estereótipos criados em torno de nós mulheres brasileiras: PELA VALORIZAÇÃO DA MULHER!

Você vai participar?

Marcadores:

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Selinho


Hoje eu fui presenteada com um selinho pela Evi da Evi Pensieri.
Obrigada, Evi! Fiquei muito feliz com a lembrança!!

Visito muitos blogs maravilhosos, mas começarei por indicar três blogs muito interessantes hoje!

Aos poucos, indicarei todos os que estão na minha listinha, ok! Todos são maravilhosos!


Vale a pena conhecê-los!









Blog da Ale:
Menina Voadora

Blog da Lys: Universo Desconexo

Blog da Sandra Mora: O dia- a- dia dos Pohlminhas


Beijos e tenham todos uma...

Marcadores: ,

domingo, 3 de fevereiro de 2008

Feliz Aniversário!


Hoje é aniversário da Meiroca do Pensieri e Parole. Já

passaram por lá? A festa está super animada, gente!

Meiroca, querida, estas flores são para você! Seja sempre feliz!

Beijos com carinho,

Marcadores: , , ,

sábado, 2 de fevereiro de 2008

Feliz Carnaval ou Ótimo Descanso!!!

Marcadores: