segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

A importância do Acordo de Copenhagen - Mudanças Climáticas

Segundo especialistas, se a emissão de gás estufa continuar nestes patamares, a temperatura subirá 3 graus celsius.

"Projeções do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), apontam que se as emissões continuarem a subir no ritmo atual e chegarem ao dobro do nível da época anterior à industrialização, haverá um aumento médio de temperatura de 3 graus centígrados neste século, o que pode causar sérios impactos.

De forma geral, o bem-estar da população e o crescimento econômico estão ameaçados se nada for empreendido. Estudo patrocinado pelas Nações Unidas publicado recentemente indica que as mudanças climáticas podem chegar a reduzir em até 19% o Produto Interno Bruto (PIB) dos países afetados por problemas climáticos em 2030. O mesmo relatório afirma que entre 40% e 68% das perdas econômicas previstas podem ser evitadas aplicando-se imediatamente as medidas de adaptação já existentes.

Contraditoriamente, é justamente a perspectiva de diminuir o crescimento econômico que tem causado relutância para que os países assumam metas de redução das emissões.

*** Possíveis efeitos das mudanças climáticas ***

Mais dias quentes
Ondas de calor
Tempestades
Secas
Ciclones
Mar mais alto

Quatro questões fundamentais precisam ser respondidas na Conferência de Copenhague:

  • Quanto os países desenvolvidos podem emitir de gases causadores do efeito estufa a médio prazo - até 2020 e 2050?

  • O que nações em desenvolvimento como, por exemplo, Brasil, Índia e China vão fazer para que suas emissões não aumentem?

  • Quantos recursos os países desenvolvidos vão oferecer às nações pobres para ajudá-las a reduzir as emissões e apoiar programas para conter o impacto das mudanças climáticas?

  • Como e por quais instituições esse financiamento bilionário será administrado?


As ações para resguardar as populações mais pobres dos efeitos das mudanças climáticas são um dos temas centrais da conferência porque elas são as mais gravemente afetadas e as mais vulneráveis.

O IPCC aponta, por exemplo, que até 2020 as colheitas de variedades que dependem do regime de chuvas podem ser reduzidas em até 50% na África.

Além disso, o desaparecimento do gelo em cordilheiras como os Andes (cujas águas correm em parte para a Amazônia), o Himalaia e o Hindu Kush pode deixar áreas em que vivem atualmente 1 bilhão de pessoas com abastecimento de água prejudicado.

Calcula-se que em 2008 20 milhões de pessoas migraram por causa de desastres ligados às mudanças climáticas. Cerca de 200 milhões de pessoas podem ser deslocados como resultado dos impactos climáticos em 2050.


Texto adaptado do G1.


Marcadores: ,

Commentários:
Muito bem adaptado! Ficou excelente! Sônia, não sei se o que o Brasil apresenta, ele fará! Acho muita conversa e leva as propostas, justo porque será cobrado. Mas se dentro dos ítens constantes na proposta brasileira, fizerem pelo menos a metade estará bom! Acho. Melhor que nada! O mesmo penso dos outros países. Muita falação e pouca ação! Beijus,
Postado por Blogger Luma Rosa : 8 de dez de 2009 19:35:00  

Postar um comentário