terça-feira, 24 de junho de 2008

Culinária Joanina



CULINÁRIA JOANINA

O plantio do milho propicia às festas juninas os pratos regionais da época.




Bolo de Santo Antônio


250 gramas de farinha de trigo
250 gramas de manteiga
8 ovos
250 gramas de açúcar
10 gramas de erva-doce
100 gramas de castanha assada sem casca

Misture o açúcar com a manteiga (com colher de pau) até ficar bem ligado, junte a erva-doce e vá pondo as gemas, uma a uma mexendo sempre.

Continue a bater a massa durante 3 ou 4 minutos e por fim misture a farinha com muito cuidado. Asse em forma redonda, untada e forrada com papel vegetal também untado. Forno regular. Com as claras que sobrara, faça uma massa de suspiro, cubra com ela o bolo depois de assado e enfeite-o com as castanhas.



Broas de milho

1/2 litro de leite
1 kg de farinha de milho
1 colher de gordura (manteiga)
1 colher de erva-doce
sal
açúcar a gosto
ovos (quantos sejam precisos para dar consistência à massa)

Junte todos os ingredientes exceto os ovos, numa caçarola e leve-a ao fogo, mexendo a massa até ficar um angu duro. Deixe esfriar e então vá amassando com os ovos até que fique no ponto de fazer broas.

Faça enrolando-as nas mãos ou numa xícara polvilhada com fubá e leve ao forno em tabuleiro polvilhado. O forno deve ser regular.


Munguzá ( Aqui no RJ conhecemos como Canjica de milho branco)

milho para munguzá
açúcar a gosto
leite de coco
erva-doce a gosto

Leve o milho ao fogo com bastante água para cozinhar. Quando cozido, junte o leite de coco, tempere com o açúcar e a erva-doce e deixe ferver algum tempo para apurar. Sirva com canela em pó e café.


Bolo de mandioca

1 quilo de massa de mandioca
5 ovos
3 xícaras de açúcar
1 garrafa de leite de coco
2 colheres de fermento
1 pitada de sal
200 gramas de manteiga


Bata a manteiga com o açúcar, depois as gemas, juntar a massa, o leite e os demais ingredientes. Por último as claras em neve. Forno quente.


Arroz doce

1 xícara de arroz
1 xícara de açúcar
1 litro de leite
casca de limão

Lavar o arroz e cozinhar em fogo lento. Quando estiver quase cozido junte o leite, açúcar e a casquinha de limão. Não deixe secar demais. Sirva polvilhado com canela em pó e acompanhado com saboroso café.


Bolo de milho seco

Passada a safra de milho, este cereal continua participando de nossa alimentação, através do munguzá, do cuscuz e do bolo de milho seco, servido na ceia e que é feito assim, conforme receita recolhida por Gilberto Freyre: "Uma xícara de açúcar, doze ovos, sendo seis claras e seis sem elas, meio quilo de manteiga, dez colheres de sopa de fubá de milho e dez de farinha de trigo. Forno quente. Forma amanteigada".


Bolo de nata

"Ingredientes: Uma xícara de nata, duas de açúcar, duas de leite, duas de farinha de trigo, três ovos, quatro colherinhas de pó Royal. Modo de fazer: Mistura-se a nata com o açúcar até ficar como um creme; põe-se o leite e, em seguida, a farinha de trigo, depois os ovos bem batidos e, por último, o pó Royal. Assa-se em forno brando, em forma untada com manteiga", conforme receita de dona Denise Wanderley Cadete, do Recife.


Bolo-de-rolo Pernambuco

"Tomam-se duzentas e cinquenta grams de manteiga, duzentas e cinquenta gramas de farinha de trigo, meia lata de goiabada e cinco ovos. Modo de fazer: Bate-se o açúcar com a manteiga. Depois de bem batido, vão-se botando os ovos, um a um, e por último a farinha de trigo. Depois de bater bem, bota-se a massa na assadeira que deve estar bem untada de manteiga. Tira-se do forno, despeja-se num guardanapo e deita-se sobre a massa uma camada de doce, que já deve estar derretido. Enrola-se depressa a massa sobre o doce. Forno quente", registra Gilberto Freyre.


Bolo de São João

Bolo este próprio da época dos festejos juninos. Esta receita foi recolhida por Gilberto Freyre e é assim. "Ingredientes: Uma tijela de massa de mandioca lavada; quatorze gemas de ovos, meio quilo de açúcar. Modo de fazer: Quando estiverem os ovos bem batidos, batem-se cento e vinte gramas de manteiga e uma xícara de leite de coco sem água. Junta-se tudo e continua-se a bater até que ligue bem. Vai ao forno regular numa forma untada com manteiga".


Canjica de milho verde

12 espigas de milho verde
leite de coco
açúcar
manteiga a gosto
chá de erva-doce a gosto

Ralar o milho, passar por uma peneira. Juntar o leite de coco e o açúcar e levar ao fogo mexendo sempre até cozinhar bem (uma hora mais ou menos). Juntar a manteiga (se quiser), sirva-se acompanhado de gostoso café.


Pamonha de milho verde

24 espigas de milho verde
açúcar a gosto
leite de coco
2 colheres de manteiga

Tire as palhas das espigas reservando as que estiverem mais perfeitas; faça com ela os saquinhos. Rale as espigas numa vasilha funda, molhe com o leite (passe na peneira) e adoçe a gosto. Encha os saquinhos de palha com essa massa e vá colocando num caldeirão com água fervente. Quando a palha ficar amarela as pamonhas estarão cozidas. Retire-as da água e leve a escorrer numa peneira. Sirva frias no próprio saquinho.


Pé-de-moleque

1 kg de massa de mandioca molhada
Açúcar mascavo a gosto
1 pitada de sal
2 ovos inteiros
leite grosso de 2 cocos ralados
2 colheres de sopa de manteiga

Misturar tudo e acrescentar moídos: castanha, cravo, erva-doce. Untar a forma com margarinha ou palha de bananeira. Levar ao forno quente em média 40 minutos. Para melhor sabor, sirva-o com café.


Bolo de bacia à moda de Pernambuco

"Batem-se doze gemas de ovos com vinte colheres de açúcar; depois de tudo bem batido, põe-se meia libra de manteiga, leite de dois cocos e deita-se a massa de mandioca até ficar em boa consistência de assar. A massa deve ser bem seca", registra Gilberto Freyre.


Bolo de batata-doce

A batata-doce foi um dos alimentos vegetais dos aborígines brasileiros que os colonizadores encontraram, provaram e gostaram, lembra Gilberto Freyre citando Peckolt. É um tubérculo muito usado no Nordeste na alimentação de todos. Com a batata-doce, comida cozida com o café da manhã ou da noite, fazem-se muitos outros pratos como farofa, doce e bolo, com a vantagem de substituir a batata-inglesa no enfeite de pratos de carne. Em três estórias de Deus quando fez o mundo, Mário Souto Maior nos conta que "Deus lembrou-se do homem preguiçoso e ficou com pena dele. Para compensar a invenção da preguiça no homem, Deus imaginou uma planta que ajudasse a alimentação dos preguiçosos, uma planta que não desse muito trabalho. E fez uma folha que jogou ao sabor do vento. E quando aquela folha caiu no chão, nasceu um pé de batata-doce, que é a plantação que não dá trabalho nenhum. Basta enterrar um raminho no chão fofo e pronto! Ela dá que é uma beleza. É por isso que quando uma coisa é fácil, o povo diz que é como batata, que foi inventada para facilitar a vida dos homens". Vejamos agora, como se fazer o bolo de batata-doce: "Meio quilo de açúcar em calda grossa, um quilo de batatas cozidas, moídas e peneiradas (basta cozinhar as batatas e passar no espremedor próprio), duzentas e cinqüenta gramas de farinha de trigo, leite de um coco, cem gramas de manteiga, junta-se tudo, põe-se numa forma untada com manteiga e leva-se para assar em forno quente", registra Gilberto Freyre.


Bolo de milho verde

Escolher doze espigas de milho maduro (as donas de casa preferem, para que o bolo fique ainda mais gostoso, utilizar seis espigas de milho maduro e seis espigas de milho bem verde). Rala-se o milho e em seguida passa-se numa peneira de arame. Faz-se um angu da massa com o leite de um coco (tirado com água), uma colher de sopa de manteiga, um pouco de erva-doce e açúcar a gosto. Feito isso, põe-se o angu numa caçarola e leva-se ao fogo para cozinhar. Depois de cozido deixa-se esfriar na mesma caçarola. Quando estiver frio, batem-se quatro ovos como para pão-de-ló. Mistura-se ao angu. Em seguida põe-se o bolo numa forma untada com manteiga, deitando-se por cima uma colher de leite do coco puro. Leva-se ao forno quente para assar.


Bolinhos de milho (seco)

"Deitam-se ovos em uma vasilha, quantos se queira, uns com claras, outros sem elas, coloca-se açúcar, canela e erva-doce, tudo em quantidade que parecer conveniente. Bate-se bem tudo com colher de pau; após ser batido, põe-se a farinha de milho de modo que a massa fique um pouco mole; depois lança-se farinha de trigo até endurecer a massa. Após colocar a farinha de milho, põe-se também uma porção de banha de porco misturada com a manteiga derretida, fazendo-se a massa dura como para biscoitos. Sova-se bem sobre uma mesa. Estendem-se e arruma-se os biscoitos em bacias para irem ao fogo", registra Gilberto Freyre.


Bolo cabano

Leite de dois cocos com uma xícara d’água morna bem cheia. Oito ovos, sendo três com as claras e cinco sem claras. Os ovos devem ser muito bem batidos. Meio quilo de açúcar e meio quilo de farinha de trigo. Bater bem. Forno quente.


Bolo de amor

"Toma-se meio quilo de açúcar em calda no ponto do espelho (calda grossa) no qual se deitam dezoito gemas de ovos mexendo-se sempre até ficar em massa compacta; quando estiver frio, fazem-se os bolinhos que se polvilham com farinha de trigo ou fubá mimoso. Estes bolinhos vão ao forno em tabuleiros de folhas-de-flandres. Depois de prontos, polvilham-se os bolos com açúcar e canela", registra Gilberto Freyre.


Bolo de bacia

"Ingredientes: um quilo de massa de mandioca bem lavada, espremida e peneirada, seis ovos, três xícaras de leite de coco puro, três xícaras de açúcar, duzentas e cinquenta gramas de manteiga. Modo de fazer: Bate-se bem a manteiga com o açúcar, junte as gemas bem batidas, as claras em neve e o leite de coco. Mistura-se tudo, bem misturado, batendo-se sempre. Em seguida, junte a massa. Sal a gosto. Unte a forma com bastante manteiga, despeje a massa do bolo e leve ao forno quente", receita de dona Lígia de Souza Leão Maia, do Recife.


fonte:http://www.jangadabrasil.com.br/junho34/cp34060c.htm

• Quentão

1 litro de pinga
1 1/2 xícara (chá) de açúcar
1 colher (sopa) de erva-doce
1 1/2 xícara (chá) de água
2 paus de canela
6 cravos
3 limões em fatias
1 mãozinha de gengibre

Faça um chá com a água e a erva-doce. Deixe esfriar e coe. Queime o açúcar até ficar dourado e junte o chá de erva-doce e os demais ingredientes. Deixe ferver e sirva quente.


Marcadores:

Commentários:
Oi Sonia
Quantas delicias!!!
Adoro essa época, cheia de comidas saborosas e muitas lembranças.
Um otimo final de semana
Bjs
Postado por Anonymous Bete : 24 de jun de 2008 17:14:00  
Perdi-me no tempo desejando um ótimo final de semana, ainda bem que bons “fluidos” nunca são demais.
Acho que é a ansiedade pela chegada das férias.
Rsrsrsrrsrsrsrs
Visitar o Cantinho é sempre um aprendizado.

Bjs no coração
Postado por Anonymous Bete : 24 de jun de 2008 22:11:00  
Pois querida Sonia
Sao as regras do mundo virtual
Hotlink é uma prática muito condenada
Muitas vezes as imagens ou textos linkados diretamente da fonte , podem ser substituidos por imagens grosseiras e ate mesmo obcenas.
Eu realmente não sabia, como fui alertada, procurei ler um pouco mais.
Como vc disse, vivendo e aprendendo.
Bs no coração
Postado por Blogger Bete : 25 de jun de 2008 16:35:00  
Ah, Sonia, que saudades!
Coisa mais gostosa era essa época em nossa infância, né mesmo!
Hoje, fico buscando onde possa ter alguma, pelo menos para comer um pé-de-moleque.
Suas receitas foram ótimas, pena que engordo só de ver, mas tô pensando em fazer este arroz-doce, pois ontem mesmo estava morrendo de vontade de comer um.

Sabe que da janela ainda há pouco eu vi uma coisa muito legal? Era a garotada do coleginho que tem aqui perto, treinando a quadrilha. Adorei e fiquei só de olho comprido, morrendo de inveja de quando era criança também.
Beijocas
Postado por Blogger Lilás : 25 de jun de 2008 17:57:00  
Hum, apetitoso esse post, hein! Todos esses bolos são a minha perdição, rsrs. Abraço!
Postado por Blogger Celia Rodrigues : 26 de jun de 2008 13:41:00  

Postar um comentário